Atleta da equipe de Petrolina conclui os 42 km da prova em pouco mais de 2h13min. Entre as mulheres, a mais rápida foi Mirela Saturnino de Andrade

Isabelle Saleme, da CNN no Rio de Janeiro

Justino Pedro da Silva, da equipe de Petrolina, de Pernambuco, foi o primeiro colocado na Maratona do Rio nesta segunda-feira (15). O atleta concluiu a prova em 2h13min31s. Pouco mais de três minutos antes do segundo a cruzar a linha, Edson Amaro Arruda dos Santos, da mesma equipe. O terceiro lugar ficou com Samir Souza Nascimento, que defende a equipe de Taubaté.

Entre as mulheres, a pernambucana Mirela Saturnino de Andrade foi a primeira colocada, terminando a prova em 2h44min51s. Na sequência, chegou Rejane Ester Bispo da Silva, com o tempo de 2h46min58s, e a também pernambucana Marina Gomes, em 3h04min01s.

A Maratona do Rio de Janeiro acontece um dia depois da Meia Maratona. As provas marcam retomada dos grandes eventos esportivos na cidade, depois da pandemia.

Durante a prova, apesar da liberação para o não uso de máscaras em locais abertos e sem aglomeração, era possível observar algumas pessoas com a proteção facial.

O Rio já tem mais de 75% da população total vacinada com as duas doses ou dose única contra o coronavírus. Para participar da competição os atletas precisaram estar com ciclo vacinal completo até o dia 1º de novembro ou apresentarem teste negativo para Covid-19 até 48h antes da retirada dos kits de competidores.

A largada aconteceu em sete pelotões, para evitar aglomerações. Os corredores de elite foram os primeiros a iniciar a prova, às 5 horas da manhã. O percurso foi de 42,195 km, com saída no Aterro do Flamengo, indo em direção ao Centro da cidade. Os participantes passaram pelo Monumento dos Pracinhas, Praça XV, Museu do Amanhã, Boulevard Olímpico, AquaRio, Roda Gigante, Rua Primeiro de Março, MAM.

Diferente de anos anteriores, desta vez o percurso não passou pelo Túnel Rio450. A prova foi para Copacabana e Ipanema até a fazer a volta no final da praia do Leblon, retornando em direção ao Aterro, passando também pelo Leme no trajeto de volta.

Segundo a organização da Maratona, ao todo, foram 20.114 atletas inscritos para os eventos, sendo 101 (0,5%) estrangeiros, 6.470 (32%) de fora do Estado do Rio de Janeiro e 13.543 (67%) fluminenses.

Impacto na economia

Com a aceleração da vacinação e a retomada dos eventos de grande porte, a economia da cidade e do estado está em pleno aquecimento e tenta se recuperar dos danos causados pela pandemia. Segundo dados da Associação Brasileira de Hotéis do Rio de Janeiro (ABIH-RJ), a rede hoteleira da cidade está com 95% de ocupação, sendo esse período o melhor feriado prolongado de 2021 para o setor.